A Braquiterapia consiste no tratamento com radiação ionizante, onde a fonte permanece próxima ou no local do tumor. Também a Braquiterapia se divide em baixa e alta taxa de dose. Os pacientes que necessitam de tratamento com baixa taxa de dose, são obrigados a permanecerem internados, em quartos isolados e sem acompanhantes, pois neste caso o paciente é considerado como fonte radioativa.

A atuação da enfermagem nesta modalidade de tratamento se inicia no ambulatório de Radioterapia, através de consultas de enfermagem ou palestras fornecidas aos pacientes em início de tratamento.

Nesta orientação as enfermeiras do ambulatório enfatizam a importância do seguimento do tratamento, avaliam a condição de pele e mucosas e realizam tratamentos adequados segundo o protocolo próprio. Para pacientes em Braquiterapia, as enfermeiras do ambulatório realizam visitas diárias, e fazem a evolução do paciente e a prescrição de enfermagem adequada para cada caso.

Braquiterapia de Alta Taxa de Dose

A Braquiterapia de Alta Taxa de Dose é mais uma opção terapêutica para os diversos tipos de câncer disponível a todos os pacientes do Instituto Oncológico e Hospital 9 de Julho.

Esta modalidade de tratamento apresenta uma série de vantagens em relação à Braquiterapia convencional, de baixa taxa. A primeira delas é a alta intensidade da fonte radioativa, que permite uma redução significativa do tempo de exposição do paciente. Outro avanço é o tamanho da fonte. Por ser muito pequena, ela pode ser colocada em órgãos e tecido onde as fontes da braquiterapia convencional não alcançavam. Para controlar fonte tão intensa, o equipamento para a realização deste procedimento possui sistema de planejamento, permitindo ao médico irradiar somente o volume desejado, protegendo os tecidos sadios. Como resultado tem-se uma intervenção altamente precisa e pouco invasiva, com baixo índice de efeitos colaterais e maior conforto aos pacientes.

O primeiro caso de câncer receber a aplicação da Braquiterapia de Alta Taxa de Dose, no Instituto Oncológico e Hospital 9 de Julho foi um câncer de endométrio em 2002. Na época, a equipe do Oncológico, juntamente com a médica instrutora da empresa fabricante do equipamento GammaMed Plus, MBS Nortion, Dra. Ida Brandani, de São Paulo, realizaram o procedimento. Neste caso, os incômodos do tratamento convencional – na qual o aplicador de braquiterapia precisa permanecer dentro do útero por 72 horas, imobilizando a paciente neste período e mantendo-a internada por três dias - foram substituídos por uma intervenção de apenas 15 minutos, em nível ambulatorial, ficando a paciente apenas algumas horas no hospital.

O Instituto Oncológico foi pioneiro no estado de Minas Gerais a realizar a Braquiterapia de Alta Taxa de Dose. O tratamento também está disponível para pacientes do SUS, no entanto, apenas nos casos de tumores ginecológicos, autorizados pelo Ministério da Saúde desde março de 2000.

O GammaMed Plus é a terceira geração de aparelhos de alta taxa de dose e o do Oncológico foi o primeiro de uma série que foram importados no ano de no Brasil. O investimento foi da ordem de R$ 805 mil.

Em 2000, o Instituto Oncológico passou a oferecer a seus pacientes uma nova opção terapêutica para os casos de câncer inicial de próstata: a Braquiterapia com Iodo 125. Cinco anos depois, o Hospital e sua equipe médica comemoram o sucesso dos mais de 500 casos realizados com inúmeros benefícios aos pacientes.

Hoje o Instituto Oncológico é a terceira maior experiência em Braquiterapia para o tratamento de câncer de próstata no Brasil, perdendo apenas para o Hospital Sírio Libanês, de São Paulo, e para o Centro Radioterápico Gávea, do Rio, este último, parceiro do hospital na disponibilização desta modalidade terapêutica. Isto confirma, mais uma vez, o pioneirismo, que sempre foi a marca do Instituto Oncológico.

Mas o que é a Braquiterapia com Iodo 125?

A Braquiterapia com Iodo 125 é o mais moderno tratamento para o câncer inicial de próstata. Hoje o Instituto Oncológico e o Hospital 9 de Julho são a terceira maior experiência do Brasil no procedimento. Além da eficácia, que é semelhante ao dos tratamentos convencionais como a cirurgia radical e a radioterapia externa, a Braquiterapia apresenta muitas vantagens aos pacientes, por ser um procedimento pouco invasivo e altamente preciso.

Todos os recursos, equipamentos e técnicas mais avançadas sempre estiveram disponíveis para todos os pacientes tratados no Instituto. A única exceção, atualmente, é a Braquiterapia de Próstata, que não está disponível para pacientes do sistema público, por seu alto custo.